Fábrica de Heróis
Crie seu personagem

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

2°: Batman Arkham City - A Resenha


Pois é, saiu mais cedo do que o previsto

Bom, vou começar a resenha dizendo que estou extremamente decepcionado por dois motivos...
Como pode um jogo tão magnífico, tão fantástico, ter uma história espetacular só que, infelizmente, tão curta!
A história principal, é uma das melhores coisas (senão a melhor). Ela não poderia durar algumas horas a mais? Adicionar umas 5 horas? Seis? Sei lá. Só sei que é muito curta  :(
Foi exatamente por isso que a resenha saiu adiantada.
São necessárias umas 40 horas para deixar tudo 100%, o que deixará o jogador muito ocupado.
Então se arredondarmos em 15 horas a campanha principal, sobrarão 25 horas de tarefas secundárias. O que, na minha opinião, deveria ser o contrário.
Outra coisa que foi decepcionante, foi a facilidade do game. Zerei-o no nível "normal", porém é muito fácil cumprir os objetivos. A coisa só começa a esquentar mesmo é a partir do meio do jogo. Mas não é nada muito complicado.
Batman Arkham Asylum era mais desafiador. Devo pensar assim, pois como foi o primeiro game, ainda tinha que pegar as manhas.

Pronto! Chega de criticar esse belíssimo game e começar a elogiá-lo, pois merece.


Os gráficos
De relance pode até não parecer, mas obviamente, houve sim melhoria nos gráficos.
Novamente, todos personagens foram muito bem moldados, mas em especial, o destaque é para Batman, Hugo Strange, Coringa, Cara-de-Barro, Mulher-Gato, Ra's al Ghul e os outros com mais importância na história.

Algo bem interessante, já existente no game anterior, que conforme o Batman vai lutando com os inimigos, seu uniforme vai rasgando. Isso aumenta o "realismo", se é que pode chamar assim.
Bom, mas o uniforme não rasga somente, ele também fica sujo. Isso ocorre na luta contra o Cara-de-Barro.
Ficou muito maneiro. A cada ataque do vilão, o Batman ficava coberto de barro.


Você É o Batman!
É essa a impressão do jogador na hora das batalhas.
Os golpes são perfeitos.
Só a movimentação que em alguns momentos fica fora do normal.

(Exemplo: O Batman está atacando um inimigo na sua frente. De repente vem um outro inimigo, que está à uma distância relativamente longa. Aí, para contra-atacar, o Batman dá um salto do cacete no outro inimigo)


Arkham City
A cidade onde os piores criminosos de Gotham estão presos, parece uma mistura do clima da Gotham usado nos filmes do Batman do Tim Burton e do Nolan. (Mais pro "estilo" do Burton do que o do Nolan)
Só consegui perceber um probleminha em Arkham City: A textura de algumas paredes e alguns prédios. Mas é claro, não passa de um detalhe.


Os desafios do Charada
Meu, tem muito, mais muito desafio mesmo! Há em todo canto!
Você olha para baixo tem um; você vira para os lados também tem; você olha para cima também tem.
O que o jogador vai "perder" de tempo só resolvendo os enigmas... Agora tá explicado porque são 40 horas no total rsrsrs

Foram acrescentados novos modelos de enigmas. Os do tipo que estavam em Arkham Asylum também retornaram.


As composições
São melhores que as do anterior. Pelo menos aconteceu comigo, que só depois de um tempo, elas saírem da minha cabeça.
Elas são muito boas.
Um dos pontos fortes do game.
Na última parte, a última música faz com que o momento fique ainda mais marcante.


Os amigos e inimigos
Alguns tem passagens mais rápidas do que outros.
Por incrível que pareça, Hugo Strange dá as caras no começo e no final do game. Só. E ele é um dos mais importantes.
A Mulher-Gato. Uma personagem que na época de quando saíam os trailers e imagens, ela recebia bastante destaque. Coisa que na campanha principal não acontece. Ela aparece em 3 momentos: Quando Batman à salva do Duas-Caras, quando ela dá uma mãozinha para o Batman quase no final e aparece ela de costas observando o Batman sair do local onde acontece a última luta.


Os pontos altos da história: As melhores partes do jogo
*Há spoilers!
São muitos, mas os melhores momentos, aqueles que quando você vê, você fala: "Isso é do caralho!!!", são estes:

- A Introdução: Por mais incrível que seja, não, a introdução não é o começo de um filme. Até parece, mas não é hehehe
Da forma como é mostrado o início, o Hugo Strange falando para Bruce que o "Protocólo 10" será iniciado, é muito cinematográfico.


- As Reviravoltas: É o que não falta no game. Creio que ninguém vá discordar de mim, porque claro que a mais foda de todas as reviravoltas é a morte de Strange. É nesse momento que descobrimos que Ra's al Ghul estava por trás de todo o plano.

*Não digo que a maior surpresa é quando a Talia al Ghul "mata" o falso Coringa. Estava na cara que ele não iria morrer, pois o frasco com a cura caiu bem ao lado da mão dele. Ficou claro que ele ia acordar e pegar.


- O Final: Não poderia faltar, né?
Quando o Batman leva o corpo do Coringa até o carro da polícia, e ele vai andando em direção a câmera, sem falar absolutamente nada, acompanhado de uma música espetacular, deixando o clima ainda mais sombrio, é nesse momento em que pensamos que valeu cada minuto jogar.


Batman Arkham City consegue facilmente ser melhor do que o anterior.
É um daqueles games que tem uma certa "magia". Você começa a jogar e não consegue parar. O jogador tem porque tem que continuar jogando até zera-lo.
É um jogo quase perfeito. Eu disse quase. Por pouquíssimo não chega a perfeição. Ele tem seus defeitos. Mínimos, mas não deixam de serem defeitos, e serão levados em consideração.
Muitos podem não gostar da minha nota, mas ela é o que achei do game.




Batman Arkham City - nota: 9,9



*Quem sabe a "nota 10" vai para o terceiro game... =)


4 comentários :

Thiago Correia disse...

Aprecio demais jogos assim, que se preocupam em entreter não só com a jogabilidade, mas com o conteúdo. Você se sente na pele do personagem, e ainda se diverte como se diante de um filme, com uma história riquíssima, cheia de reviravoltas. Sei que é meio antigo, já existe uma sequência, mas comento a respeito porque acho um ótimo jogo: MÁFIA. É no estilo GTA, mas na década de 30, durante a Lei Seca, e com um enredo bom como os dos melhores filmes do gênero.

BATMAN ARKHAM CITY
Para quem tiver curiosidade, há no Youtube alguns vídeos que encontrei em português, falando sobre os chefões do jogo, e com cenas legendadas. Vale a pena assistir.

DETONANDO Ra's Al Ghul:
http://www.youtube.com/watch?v=RTs4QWBQPzA

Mestre das Sombras disse...

Gostei da sua nota sim, e acho que jamais um game deveria ganhar um 10, pois o 10 demostra que o jogo é perfeito, dessa forma uma "provável" continuação não teria nada em que melhorar, ficando sempre mais do mesmo. O que felizmente não deve acontecer enquanto essa produtora estiver tomando conta do Batman.
Obs.: Se fosse responsável pela DC (ou mesmo Marvel) deixava nas mãos da Rocksteady todos os meus heróis, pois ela mostrou mais do que competência, mostrou qualidade e respeito aos fãs.

matheus disse...

porque todos os games que tem melhorias em grafico, ficam menores para jogar (sera que é por causa da midia do xbox?????) por mim eu faria um game exclusivo com mais de 100 horas e mais dificil, por que se o game é muito bom e nem tão facil mas não muito complicado, você vai querer ver o final e se o final é bom muitos dariam nota 10 , 11 ,12 ... 20 se possivel rsrs

Blaker disse...

Cara muito show esse jogo, tambem apoio essa nota 9,9
Eu realmente concordo com tudo o que foi dito nessa resenha, mas num achei que esse Batman ficou bem feito. Quer dizer, bem feito ficou sim e muito mas eu achei que ele ficou muito bombado e o Coringa por sua vez achei muito magrelo. Mas fora isso o jogo e extremamente D+ !*

*giria de adolescente num e meu costume eu so quis variar no linguajar