Fábrica de Heróis
Crie seu personagem

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Assassins's Creed: Revelations


- Análise

*O primeiro game da série que joguei foi AC II, mas não joguei quase nada, o game não me atraiu à primeira vista. Porém, com a chegada do Revelations, comecei a ver com outros olhos os games dessa franquia.
Com isso, dei uma olhada em alguns vídeos e resolvi comprar o game.
Por esse motivo considero Assassin's Creed: Revelations a minha primeira experiência com um game dessa série.
Então já aviso: Não entendo muito do universo AC.
Dei uma pesquisada na história e em outras coisas dos games anteriores, mas não virei um expert e por isso não vou me aprofundar muito nesses conceitos, vou tentar analisar o game como se não trata-se de uma sequência.



História (do Ezio):
Ezio inicia uma jornada para descobrir os segredos de Altair. Para isso, ele terá que encontrar alguns artefatos (chaves) escondidos... mas as coisas começam a complicar com a chegada dos Templários, que tem os mesmos objetivos de Ezio.
Com isso, o assassino viaja à Constantinopla, onde a maioria dos acontecimentos da história ocorrem.

- Bom, no começo as coisas não são nada de mais. Basicamente missões simples de bombas, recrutamentos, perseguições etc.
O negócio começa a ficar bem mais interessante a partir do meio do game, onde são realmente mostradas as revelações.


Jogabilidade:
Ela tem pontos positivos e negativos.
Positivos: É mais simples do que imagina. Você aprende as coisas de uma maneira rápida e fácil.
Negativos: Os movimentos de Ezio são muito "detalhados", são perfeitos de mais. (Sim, é algo ruim porque é muito bom). Ex.: Ezio está correndo em linha reta, aí no meio do caminho tem uma escada, aí você passa pela escada e o Ezio sobe nela, só que era para ele continuar correndo.
É mais ou menos assim.


Na questão da física, o game é mentiroso demais.
Tudo bem que o Ezio tem uma armadura, mas em algumas horas, quando ele cai de alturas relativamente altas, fica forçado demais ele não ter ficado com nenhum dano.


Gráfico:
Ele não é o máximo que a atual geração nos pode oferecer, mas é um gráfico muito bom.
As vestimentas, a armadura, as paredes, as armas, os objetos, os telhados, as torres... tudo isso é muito detalhado. Foi tudo muito bem feito.

Uma das coisas mais fodas do jogo, é a ambientação: as paisagens e tals, é tudo muito bonito de se ver.
Volto a repetir, foi tudo muito bem feito mesmo.



Os outros protagonistas:
- Altair: Controlamos ele a partir do momento em que Ezio encontra uma das chaves escondidas.
Esses momentos são curtos, pois são objetivos, mas são muito legais.
Embora tenha ficado meio perdido em certas partes, achei o final dele muito foda.

- Desmond: É graças à ele que podemos controlar Ezio e Altair.
Através de um equipamento chamado Animus, podemos viver na pele dos nossos antepassados. E é esse o caso de Desmond: os dois assassinos são seus antepassados.
Só que no game, Desmond fica "preso" no Animus.


Coletáveis:
Há bastante coisa espalhada no grande mapa, como tesouros, ingredientes, livros, mapas e fragmentos do Animus.
Dá uma tremenda trabalheira conseguir tudo. Eu mesmo vou tentar, mas não garanto...


Alguns outros personagens:
Um dos pontos altos do game são os personagens.
É incrível como todos são carismáticos (exceto o Desmond, que achei ele um manézão).

Yusuf é um assassino gente boa. É ele que nos apresenta a cidade e outras coisas.
Só não gostei do final dele, embora ao meu ver tenha sido necessário...

Sofia é a mocinha da parada. Só que ela não é somente a mocinha, ela até que ajuda Ezio.
Toda vez em que eles se encontram, ele dá umas xavecadas hehe, mas não dá em nada.

Príncipe Suleiman/Solimão é um dos "camaradas" de Ezio.
Como seus familiares estão em guerra uns contra os outros, em partes do game, Ezio ajuda o jovem Príncipe com algumas tarefas.


A facilidade do game:
Pois é, isso é um "defeito" do game.
Há elementos de sobra que tornam as coisas mais fáceis: as bombas, o veneno, as ciganas (nas quais podemos se "camuflar") etc.
Não há muito desafio. O jogador vai prosseguindo e prosseguindo.


Trilha sonora:
A palavra que define melhor é "excelente".
Quando chega na metade do game, parece que ela piora um pouco, mas lá pro final se recupera.




Defesa das torres:
Bom, pelo que vi na net, essa coisa é novidade na série.
Funciona assim: Você vai lá e domina a região dos Templários. Só que depois eles tentam recuperar essa área, daí você (se quiser) os enfrenta para a região ficar totalmente sob seu domínio.
O verdadeiro problema nisso, é que com o tempo a coisa fica enjoativa e sem graça alguma.
O jogador simplesmente fica parado e comandando os assassinos, colocando muros e outras coisas para impedir que os Templários ataquem.


Desafios de Desmond:
Esses desafios também são novidade.
Neles controlamos Desmond, só que em primeira pessoa.
Para passar de cada fase (são 5 no total) temos que resolver puzzles montando blocos.
Achei meio estranho. Valeu tentar algo completamente diferente no jogo, mas não ficou legal.
Em algumas horas me lembrou um pouco do game Portal, já que os cenários são semelhantes.


Algumas dicas:
- Dinheiro: No início do jogo, tente não gastá-lo com outras coisas à não ser para o aperfeiçoamento da armadura, armas e a localização das páginas da autobiografia de Ishak Pasha (depois eu explico..).
Tente economizá-lo ao máximo, para mais pra frente comprar lojas e receber à cada 20 minutos um depósito de "X" (de dinheiro) no banco.

- A armadura de Ishak Pasha: Essa tal armadura é a melhor do jogo, pois é a que te dá mais defesa e não há necessidade de repará-la.
Para conseguir ela, tente achá-la logo no começo do jogo (*caso queira deixar as coisas mais fáceis).
Como está acima, compre o mapa com a localização de 10 páginas da autobiografia do assassino Ishak Pasha. Coletando todas, estará no mapa o local da melhor armadura.

- Bombas: Elas são muito úteis no game. Sério mesmo.
Não cometam o mesmo erro que eu, de não usá-las quase que na campanha inteira. Fiz basicamente tudo na base da porrada e um pouco no stealth.
Existem vários tipos delas, como as bombas de fumaça e as de ruído. Ambas para distração.


Bom, antes de encerrar o post, tenho uns recados:
*Essa é pra quem não sabe muito ou não tem o jogo:

1: Caso não tenha entendido certas coisas sobre a história, personagens e outras coisas, aconselho à você procurar, porque vale à pena. O jogo é muito bom mesmo.
2: Todos devem saber que achei Batman AC fodástisco, certo? Então, pra mim Assassin's Creed: Revelations está no mesmo nível. Sério. Por isso a nota será quase a mesma.



nota: 9,8


8 comentários :

Anônimo disse...

ÊEEEEEÊ finalmente um novo post...

aew quando vai vim o portifolio?

ko disse...

Ótima análise. Eu jogo a série desde o primeiro game e fiquei fascinando por ela. Sou fã realmente, e gostei muito da sua análise. Gostei de ver FH! Continue assim!

Anônimo disse...

Cara, seus posts já são bons, mas como eu sou fanboy de AC, esse post ficou épico kkkk só vou fazer uns comentários sobre uns tópicos kkk

-jogabilidade/negativos: super verdade kkk

-a fisica do jogo tem hora que é forçada mesmo, mas use paraquedas kkk

-altair: esse jogo foi perfeito pois até os jogos anteriores ninguém sabia quase nada do altair, só achavam que era um personagem seco

-desmond: só vai assumir o posto dele no assassins creed 3

-cara, eu naum tenho saco de correr atrás de colecionaveis tbm naum, mas dá pra pegar sim; depois que pega os 50 primeiros fragmentos da animus, os outros aparecem

-yusuf: foi meio chato o fim dele, pq dava a impressão q ele era mais cabuloso (pra quem naum zerou o jogo, ele deixou de ser assassino pra ir morar em roma)

-sofia: as cantadas valeram a pena pô, eles casaram! ontem eu vi o video assassins creed embers, e eles se casam, tem filhos e tudo mais

-a historia é muuuito complexa (da serie toda), mas muuuito boa

Anônimo disse...

Cara, seus posts já são bons, mas como eu sou fanboy de AC, esse post ficou épico kkkk só vou fazer uns comentários sobre uns tópicos kkk

-jogabilidade/negativos: super verdade kkk

-a fisica do jogo tem hora que é forçada mesmo, mas use paraquedas kkk

-altair: esse jogo foi perfeito pois até os jogos anteriores ninguém sabia quase nada do altair, só achavam que era um personagem seco

-desmond: só vai assumir o posto dele no assassins creed 3

-cara, eu naum tenho saco de correr atrás de colecionaveis tbm naum, mas dá pra pegar sim; depois que pega os 50 primeiros fragmentos da animus, os outros aparecem

-yusuf: foi meio chato o fim dele, pq dava a impressão q ele era mais cabuloso (pra quem naum zerou o jogo, ele deixou de ser assassino pra ir morar em roma)

-sofia: as cantadas valeram a pena pô, eles casaram! ontem eu vi o video assassins creed embers, e eles se casam, tem filhos e tudo mais

-a historia é muuuito complexa (da serie toda), mas muuuito boa

Anônimo disse...

Se vai falar de game fala do Tekken tbm.oochi.

Anônimo disse...

Realmente concordo com vc sobre o jogo, achei muito foda.

SPOILER

Mas devo corrigir vc em algo, na verdade Ezio e Sofia ficam juntos e tem uma filha, no fim do jogo vc percebe que Ezio deixa a vida de assassino pra aproveitar o resto de sua vida, a um video chamado AC: The Embers, o que aconteceu com Ezio depois do fim do jogo, é um otimo video, veio junto com a pré-venda, mas acho que tem no site oficial da Ubisoft.

LPS disse...

Opa! Valeu aí pessoal pelos elogios e pelas informações.
A partir de agora todo game que eu pegar vou procurar sempre fazer uma resenha. Só que vai demorar um pouco (tô juntando uma grana rsrs).

Já vou procurar esse vídeo AC: Embers... (então pelo visto o Ezio se deu bem hein, hehe).

Sobre o Tekken: Eu até curto, mas bem pouco =/


Até mais.

GaLL1arD disse...

As missões não são extremamente repetidas e maçantes como nos jogos anteriores??

Joguei o primeiro jogo completo, o segundo cheguei até a metade e depois não aguentei mais jogar, de tão monótono.....